A vida seria um erro, se não existisse a música(Nietzsche). A vida é um erro, mas a música atenua este erro(O Caveira)

Isso, abaixo, seria a vida após a morte?

terça-feira, 24 de julho de 2012

Lembrando-me da T.



Hoje, lembrei-me da T.. A conheci , ao frequentar um centro espírita kardecista. Sua idade, regulava com a da minha mãe, acho até que era mais velha do que a minha progenitora.
Eu gostava dela,  e ela parecia gostar de mim.

T. morava com o marido e seus filhos(uns 5,6) e com uma cunhada.  Ela se queixava de todos. Pelo menos uma vez, a vi chorar por causa disso. Um dia falou: "não tenho apoio de ninguém lá em casa!". Conheci alguns de seus filhos, inclusive, uma delas, a E., se apaixonou por mim(falo sobre isso no blog do vazio da existência, no post, "A Saga do Primo P. com as Mulheres"), seu marido e sua cunhada. Todos me trataram bem, achei todos simpáticos, principalmente a cunhada da T..

Eu tinha pena da T., e pensava que ela era uma injustiçada, até que uma velha conhecida dela, vizinha, que frequentava também o centro espírita , me falou que ela era uma pessoa muito difícil de se lidar.
Continuei gostando da T., mas, graças a revelação da citada senhora, não mais a vi como vítima.

Não sei se ela ainda vive, há anos que não a vejo. Contudo, acredito que se tivesse um blog, usaria-o para criticar sua família, se passando por vítima; e a maioria dos frequentadores/comentaristas, a apoiariam, sendo que uns, mais exaltados, esculhambariam seus "algozes"; havendo também, claro , os demagogos.

Eu, particularmente, nunca quis me passar de vítima, no mundo virtual;jamais foi minha intenção me passar por um coitado, e se passei isso, paciência, o que vale , pra mim, é minha honestidade, tanto com as pessoas, como comigo mesmo. Mais uma vez, digo que sou o que posto nos blogs e o que está no meu próprio perfil.
Estou longe de ser um santo, mas também não sou um vilão.

Eu era muito ingênuo, quando achei que a T. era uma vítima. Hoje, sou bem mais prudente ao tirar certas conclusões. Temos que ver que cada um tem seu ponto de vista, a neutralidade é uma forma bem mais sensata. Posso não prestar para uma pessoa, e prestar para outra...


Deixe-me Sozinho

Em mil ilhas no mar
Eu vejo mil pessoas assim como eu
Cem uniões na neve
Eu os vejo andando, caindo em uma linha
Nós vivemos sempre no chão
Será tão quieto aqui hoje a noite
São mil ilhas no mar
É uma pena

E cem anos atrás
Um marinheiro pisou esse chão eu fiquei por cima
Levem-me embora todos
Enquanto isso parece para baixo

Da minha cabeça para meus dedos
Das palavras no livro
Eu vejo uma visão que deverá me trazer sorte
Da minha cabeça para meus dedos
Através dos meus dentes, através do meu nariz
Você entende essas palavras errado
Você entende essas palavras errado
Todo o tempo
Você entende essas palavras errado
Eu só sorrio

Mas da minha cabeça para meus dedos
Dos meus joelhos para meus olhos
Toda vez eu vejo o céu
Por esses últimos poucos dias deixe-me sozinho
Mas por esses últimos poucos dias deixe-me sozinho
Deixe-me sozinho(New Order)

Você não me mudará

Sou somente um homem, e sou o que sou,
Ninguem mudará meus modos
Não preciso de dinheiro e não preciso mentir
Apenas preciso viver cada dia
Mas gosto de falar dessas coisas contigo
Quero as coisas que você diz hoje
Embora você não me mudará de nenhum modo.

Te desejo vindo e me olhando pois estou seguro
Quero deixar minha mente livre
Você me entende mulher, você me dá tempo.
Mas não preciso de simpatia.

Ainda me admira  gostar de ser amado
Em vez de ocultar de mim mesmo
Ninguem me mudará de nenhum modo

Ninguem mudará meu mundo
Isso é algo muito irreal
Ninguem mudará a maneira que sinto

Então preste atenção no que digo agora
Por favor me de tempo e talvez amor
Se Deus existir, espero que ele me ajude
Preciso dele agora para me deixar livre
porque , talvez, tudo acabará para mim
Se você não escutar o que digo hoje
Ninguem poderá me mudar.

Ninguem mudará meu mundo
É algo muito irreal
Ninguem mudará a maneira que sinto(Black Sabbath)

17 comentários:

  1. Olá Roderick, teus cantinhos são tão bem cuidados, eu gosto do modo como colocas as figuras e as palavras dos teus posts.

    Esse mundo é tão cheio de contrastes, como tu bem falastes, as vezes servimos para uma pessoa, e não para outra. Assim como alguns são difíceis por não conseguirem se fazer entender. Alguns as vezes guardam no EU sua dor, outros as jogam farfalhantes por aí... A cura é sempre a busca mais certa.

    Obrigada pela visita

    Meus abraços e um ótimo fim de tarde pra ti.

    ResponderExcluir
  2. Agradeço muito por suas palavras, Janaina.
    E eu tenho minhas implicâncias, seria preconceito?
    Mas não consigo amar, sem ser possessivo. Sempre fui assim, nunca ocultei isso de ninguém , até mesmo meu conservadorismo/machismo.

    Melhor, sendo desse jeito, ficar alone, não?

    Eu que agradeço pela sua visita.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. É Verden, "Para cada pé inchado tem um botina velha."
    Gostei do som!!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  4. Meu pé inchado está sem botina,mas me acostumei a andar descalço.rs

    Bom que gostou.

    Muito obrigado.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Ola! Tudo Bem! Me nome é Ulisses Sebrian
    e visitei o seu blog e gostei muito. Entrei como
    Seguidor se não se importa. Parabéns pelo seu blog
    e boa sorte.
    Gosto de literatura.
    Sou autor de 9 romances disponíveis em meus blogs.
    Ah!Também tenho 4 blogs e gostaria que o visitasse.
    E se possível entrar como seguidor. Obrigado
    Os meus blogs são:
    http://truquedevida.blogspot.com.br/
    http://olhosdnoite.blogspot.com.br/
    http://melquisarcarde.blogspot.com.br/
    http://concientein.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Ulisses, já conheço seus blogs, sigo um deles, é uma honra ter vc como um dos meus seguidores.

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. acho super complicado saber se uma pessoa é boa ou ruim. a neutralidade é melhor mesmo. infelizmente tendo a achar que a maioria das pessoas é ruim. no fundo deve ser um reflexo de uma certa infelicidade, ver o mundo com olhos pessimistas. para não cometer injustiças, tento ficar neutra na medida do possível...

    ResponderExcluir
  8. Bem sábio seu comentário, e sano também, principalmente vindo de uma pessoa que se diz mad(rs).

    Moiselle, tenho lido seus posts, inclusive gostei muito do "Carinho". Não tenho comentado e nem lindo os comentários... Vc deve saber o motivo. Se esqueceu, por favor, leia meu post "Aviso". Me desculpe.

    Um bom domingo!

    ResponderExcluir
  9. Interessante a história da T. Mas existem muitas histórias assim. É como alguém que quando conta algo sempre puxa a "lenha para seu assado". No meu trabalho vejo muita gente assim...

    Eu mesma em muitas situações realmente pensava que eu era a vítima, mas tudo é uma questão de como se olha as coisas.

    Bom domingo e boa semana!

    ResponderExcluir
  10. Bem pensado, Iza.
    E essa história é real, a T. realmente existiu.

    Bom domingo e boa semana pra vc também.

    ResponderExcluir
  11. Acho que é por isto que adoro está sempre só.
    beijos!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Deixei um comentário, mas não sei se foi aceito... Deu erro no meu computador....

    : (

    Qualquer coisa, postarei novamente....

    ResponderExcluir
  13. eu não me esqueci, rs.

    uma ótima semana para vc!

    ResponderExcluir
  14. Senhor Tio Verden, é verdade que o senhor sempre mostra o que é, não esconde que não é bem uma pessoa fácil. Infelizmente ninguém é perfeito, mesmo pessoas boas tem defeitos e isso é o sentido de "ser humano" é carregar as nossas imperfeições.

    E sim, quem nos ama nos ama com nossas virtudes e falhas... E lendo seu post lembrei de minhas lamurias com meu pai, eu reclamo do jeito dele, mas o fato é que eu também não sou fácil... Enfim... todos somos vitimas e algoses de quem nos ama!!!

    ResponderExcluir
  15. Concordo plenamente contigo, sobrinha, mormente com o último parágrafo.

    Grato pelo sábio comentário.

    ResponderExcluir
  16. Pessoas que geralmente se sentem vitimas por tudo que acontece ao seu redor, costumam ser no minimo: enfadonhas e cansativas ao extremo...

    Corro longe desses seres da natureza...

    Pudera, tivessem coragem de ter uma postura, digamos menos, reclamões... Quem sabe assim não seria mais fácil tolerá-los????

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Suzi, quando eu era bem mais jovem , me achava uma vítima, mas com o tempo percebi que não era bem assim. No entanto, eu reclamo muito.rs
    Acredito que eu seja enfadonho e cansativo para algumas pessoas(talvez até muitas, não sei).

    Grato pelo comentário.

    Tudo de bom!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão respondidos.